! !

terça-feira, 17 de abril de 2012

... "Penso de mim para mim"...



“Quando eu partir e tu ficares…
Penso de mim para mim…
“Que marca de mim em ti deixar?”
Penso de mim para mim…
Quem sou eu para marcar?
Mas se a mim marcaram porque não deixar marca de mim em ti?
Porque não?
Penso de mim para mim…
Tudo e nada, faria sentido?
Tudo seria assim tanto?
E nada, seria muito?
Penso de mim para mim…
E tudo deixaria porque “nada”, não faz parte do meu dicionário partilhado…
Exagero?
Penso de mim para mim…
Deixa, não entendas…
As palavras querem-se sem sentido porque acabam
 sempre por todo o sentido fazer.
E do que pensei de mim para mim, comigo a um acordo cheguei.
Meus cadernos te deixarei, quando partir e tu ficares…
Deixar-te-ei a palavra, que pelo meio de cearas ondulantes,
e de ventos de mudança se conjugaram nas nossas palavras.
Deixar-te-ei as palavras conjugadas na imperfeição de quem não escreve,
de quem se limita a rabiscar, palavrinhas de sentires,
“vestidos”  de vestidos coloridos, das cores do arco-íris,
e despidos por vezes de um negro cinza que sou eu.
Penso de mim para mim…
“ Deixarei a marca em ti, igual à marca que em mim deixas-te?”
Trocamos de posição sem nunca deixar que o mundo que habitamos
não se faça de palavras, ou de melodias, coloridas, que tapam o mundo,
e fazem do mundo um pequeno nada de um grande todo”.
Penso de mim para mim…
E se penso a um acordo chego, de mim para mim…”.

Maria
Beijo n´oteudoceolhar.


(P.s: Calma! Ninguém vai a lado algum, ninguém vai partir.
Mas se partisse, para a outra vida, há "bens"
(de valor bem mais sentimental do que material),
que já estão destinados a algumas pessoas.
Simples!
Tal como já tinha referido, os textos - parte - estão registados em meu nome.
Proíbida cópia, integral ou parcial sem autorização prévia).




Nota: Eu sou completamente anti Face...mas... 
A arte manifesta-se de várias formas e não posso deixar de passar a palavra a pedido de uma amiga...a sua arte?
 Espreitem e votem...Obrigada/o em nome da Rute.




Etiquetas:

14 Comentários:

Blogger Nilson Barcelli disse...

Poema complexo, ou então é porque estou cheio de sono...
Mas gostei muito. É magnífico.
Beijos, querida amig.

17 de abril de 2012 às 23:05  
Blogger Secreta disse...

Queremos sempre deixar a nossa marca, tão intensa quanto a que deixaram em nós...
E sim, há pessoas nas quais deixamos marcas incomparáveis, e essas mesmo pessoas marcam-nos dessa mesma forma.
Bem... a pessoa que eu mais quero marcar, da mesma forma que me marcou... é o meu filho :).
Uma forma única, que nunca ninguem poderá equiparar...
É assim, não é?
:)
Um beijito.


P/S: porque não tiras a verificação das palavras aqui nos comentários?... fico de cabelos brancos para conseguir enviar o comentário...

18 de abril de 2012 às 11:12  
Blogger oteudoceolhar disse...

Nilson,

o que faz não ser poeta...
Mas vá-se lá saber porque gosto imenso deste "rabisco", diz-me muito.
Também já te dei uma "dica" (passo o termo), pode ser que agora seja menos complexo...

Beijo n´oteudoceolhar.

18 de abril de 2012 às 12:04  
Blogger oteudoceolhar disse...

…dúvidas?
Nenhuma…sim com toda a certeza, que a marca maior, será a que deixamos e tudo o que passamos, aos nossos petits (um menino lindo), e daqui a uns anos, senão antes, a “factura” é paga.
Mas sim, também sabes e tanto quanto eu, que as marcas são mais que muitas e especiais algumas…Afinal passam tantas pessoas pela nossa vida, e mal de nós que as “eleitas”, não nos marcassem…ou, em alguma medida, mal de nós se na nossa passagem, não deixássemos a nossa marca, por muito pequena que possa ser..É…
Beijito n´oteudoceolhar.

18 de abril de 2012 às 12:55  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Estava mesmo com sono. E cansado... Desculpa.
Já percebi tudo, mesmo sem as tuuas notas.
Escreveste um poema muito bom, que é uma espécie de testamento de marcas em alguém.
Gostei muito.
Beijos, querida amiga.

18 de abril de 2012 às 19:18  
Blogger Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema onde te escreveste e descreveste, um testamento poético que será eternizado nos corações que te tocam e que tocas, adorei.

Deixo o meu beijinho com carinho
Sonhadora

18 de abril de 2012 às 22:35  
Blogger Flor de Jasmim disse...

Maria querida
As marcas são infinitas sempre nos maracarm, sejam boas ou não, tu sabes amiga porque tens imensas, mas não esqueças que existem aquelas que por ti fazem a diferença e, tu tens estado a fazê-lo neste último ano.
Excelente forma a tua como sempre de nos falares dos sentimentos.

Beijinho e uma flor

19 de abril de 2012 às 11:39  
Blogger oteudoceolhar disse...

Sonhadora,

...lá está uma mulher entende sempre de uma outra forma.
Eu pelo menos entendo assim.
Queria eu saber escrever poemas, não é um poema, creio!
A mim tocam e ficará marcado numa espécie de "ferro e fogo", e mais uma vez assim entendo.
E sim a pessoa a quem deixarei, ou deixaria os meu scadernos, era mais do que merecedora dos mesmos. Pena que ao ler, a confusão fosse tal, escrevo reescrevo, passo folhas, outras sem nada, outras com, palavras a mais...Eu gosto imenso dos meus cadernos, são companheiros e "amantes" das minhas palavras...
Se iria gostar, creio que sim, nem sempre somos só nós as "meninas" a gostar destes toques de sentimentalismo...
Obrigada, por estares aí...faz tempo.

Beijo ´n´oteudoceolhar.

19 de abril de 2012 às 22:29  
Blogger oteudoceolhar disse...

Minha Flor,

como estás sempre atenta.
Sim tenho imensas marcas, mas hoje as que me marcavam mais, não marcam...
Hoje as que me marcam, com toda a certeza marcaram por muito tempo, do pouco que conheço de mim (que acredita hoje é um pouco mais do que ontem)...
Ai Flor este ultimo ano...parece que vivi toda uma vida, neste ano...e acredito que continuo viva, já viste?
Que fazer? Nada...e tudo...acima de tudo viver, cada dia, a saborear as marcas.
Os meus cadernos ficavam bem entregues.
Vamos continuar a escrever no caderno da vida sim? Força a Ti aos teus, e que a mim não me falte...e se faltar tenho aí um colinho sim?
Maria e as suas coisas...
Beijinho grande n´oteudoceolhar.

19 de abril de 2012 às 22:35  
Anonymous Osval. disse...

Muito Bom! Todo.

20 de abril de 2012 às 09:06  
Blogger PauloSilva disse...

Olá querida, tia!

Vamos pensando, não há maneira errada de o fazer, só de colocar o pensamento em prática. E disso aprendemos a fazer, a melhorar, a evitar alguns erros e a emendar outros.

O mundo é tão grande, mas as palavras tentem defini-lo, não senti-lo. Agora pensemos, de dentro para fora ou apenas por dentro...

Quando for para dormir, que seja em tempo calmo, tranquilo que nem uma gota caindo pela janela molhada...

Um grande beijinho.

21 de abril de 2012 às 12:30  
Blogger Moonlight disse...

Maria,

Palavras...palavras que se juntam a outras palavras e encaixam na prefeiçao de sentires que moram detro de nós.
Mesmo que ninguêm as entenda,sabemos que elas fazem sentido e por não...?escreve-las.São parte de nós,pedaços de nós,retalhos de nós mesmos que um dia poderam a alguêm que nos diz muito,transmitir um pouco mais de nós do nosso ser interior.
Fabuloso Maria,nunca deixes de regista-las em papel e com carinho deposita-las um dia na mãos de quem tanto nós marca e deixamos a nosso marca.

Bjinho cheio de luar

23 de abril de 2012 às 09:58  
Blogger ruteserrano disse...

Em 1º lugar um grande obrigada, pelo apoio à minha arte.
Existem artes diferentes, consideradas mais ou menos "nobres", a tua está entre as nobres a minha nas desprezadas e desvalorizadas.
Mas desenhar um bolo e transformar o desenho em realidade é uma arte.
Os Bolinhos com Amor são uma arte que descobri com o meu rebento...
Começei a fazer bolinhos com a Mariana, por amor e com amor!!!
Sempre que ela diz, mãe vamos fazer um bolo,eu coloco todo o meu amor nesse bolo e é por isso que eles são lindos e deliciosos, porque quando colocamos amor no que fazemos conseguimos fazer Arte!!!

23 de abril de 2012 às 15:07  
Blogger oteudoceolhar disse...

Em 1º lugar Maria caranguejinho, a sua arte não é nem tem de ser desvalorizada, eu entendo-te mais do que na perfeição, e eu sei o que custa ou não tivesse uma doceira lá em casa…
Carangueija dum raio, irra pá…tens habilidade na pontinha dos dedos (mãos), tal como (humildemente), eu tenho no clicks (tás a ver olha que duas humildes de trazer por casa).
Começaste a fazer e fazer muito bem, agora é ir em frente sem medo…e pelo amor da santa lembra-te que estou de dieta TÁ?
Ora muito bem a petit Mariana despertou em ti esse Dom que acabaste por desenvolver, agora é mesmo crescer, e para isso não é necessário fremento apenas e só TU.

Beijo n´oteudoceolhar, e vivam os cake pops (ai dieta).

23 de abril de 2012 às 15:12  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

} @media handheld { #wrap { width:90%; } #main-top { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-bot { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-content { width:100%; background:#FFF3DB; } } #inner-wrap { padding:0 50px; } #blog-header { margin-bottom:0px; } #blog-header h1 { margin:0; padding:0 0 6px 0; font-size:225%; font-weight:normal; color:#612E00; } #blog-header h1 a:link { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:visited { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:hover { border:0; text-decoration:none; } #blog-header p { margin:0; padding:0; font-style:italic; font-size:94%; line-height:1.5em; } div.clearer { clear:left; line-height:0; height:10px; margin-bottom:12px; _margin-top:-4px; /* IE Windows target */ background:url("") no-repeat bottom left; } @media all { #main { width:560px; float:left; padding:8px 0; margin-left:-40px; } #sidebar { width:240px; float:right; padding:8px 0; margin-left:-50px; } @media handheld { #main { width:100%; float:none; } #sidebar { width:100%; float:none; } } #footer { clear:both; background:url("") no-repeat top left; padding-top:10px; _padding-top:6px; /* IE Windows target */ } #footer p { line-height:1.5em; font-family:Verdana, sans-serif; font-size:75%; } /* Typography :: Main entry ----------------------------------------------- */ h2.date-header { font-weight:normal; text-transform:capitalize; text-align:right; letter-spacing:.1em; font-size:90%; margin:0; padding:0; } .post { text-align:center; margin:8px 0 24px 0; line-height:1.5em; } h3.post-title { font-weight:normal; text-align:center; font-size:140%; color:#da70cd; margin:0; padding:0; } .post-body p { text-align:center; margin:0 0 .6em 0; } .post-footer { font-family:Verdana, sans-serif; color:#da70cd; font-size:74%; border-top:0px solid #BFB186; padding-top:6px; } .post ul { margin:0; padding:0; } .post li { line-height:1.5em; list-style:none; background:url("") no-repeat 0px .3em; vertical-align:top; padding: 0 0 .6em 17px; margin:0; } /* Typography :: Sidebar ----------------------------------------------- */ h2.sidebar-title { font-weight:normal; font-size:120%; margin:0; padding:0; color:#da70cd; } h2.sidebar-title img { margin-bottom:-4px; } #sidebar ul { font-family:Verdana, sans-serif; font-size:86%; margin:6px 0 12px 0; padding:0; } #sidebar ul li { list-style: none; padding-bottom:6px; margin:0; } #sidebar p { text-align:center; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; margin:0 0 .6em 0; } /* Comments ----------------------------------------------- */ #comments {} #comments h4 { font-weight:normal; font-size:120%; color:#29303B; margin:0; padding:0; } #comments-block { line-height:1.5em; } .comment-poster { background:url("") no-repeat 2px .35em; margin:.5em 0 0; padding:0 0 0 20px; font-weight:bold; } .comment-body { margin:0; padding:0 0 0 20px; } .comment-body p { font-size:100%; margin:0 0 .2em 0; } .comment-timestamp { font-family:Verdana, sans-serif; color:#29303B; font-size:74%; margin:0 0 10px; padding:0 0 .75em 20px; } .comment-timestamp a:link { color:#473624; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:visited { color:#716E6C; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:hover { color:#956839; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:active { color:#956839; text-decoration:none; } .deleted-comment { font-style:italic; color:gray; } .paging-control-container { float: right; margin: 0px 6px 0px 0px; font-size: 80%; } .unneeded-paging-control { visibility: hidden; } /* Profile ----------------------------------------------- */ #profile-container { margin-top:12px; padding-top:12px; height:auto; background:url("") no-repeat top left; } .profile-datablock { margin:0 0 4px 0; } .profile-data { display:inline; margin:0; padding:0 8px 0 0; text-transform:uppercase; letter-spacing:.1em; font-size:90%; color:#211104; } .profile-img {display:inline;} .profile-img img { float:left; margin:0 8px 0 0; border:1px solid #A2907D; padding:2px; } .profile-textblock { font-family:Verdana, sans-serif;font-size:86%;margin:0;padding:0; } .profile-link { margin-top:5px; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; } /* Post photos ----------------------------------------------- */ img.post-photo { border:1px solid #A2907D; padding:4px; } /* Feeds ----------------------------------------------- */ #blogfeeds { } #postfeeds { padding:0 0 12px 20px; }

terça-feira, 17 de abril de 2012

... "Penso de mim para mim"...



“Quando eu partir e tu ficares…
Penso de mim para mim…
“Que marca de mim em ti deixar?”
Penso de mim para mim…
Quem sou eu para marcar?
Mas se a mim marcaram porque não deixar marca de mim em ti?
Porque não?
Penso de mim para mim…
Tudo e nada, faria sentido?
Tudo seria assim tanto?
E nada, seria muito?
Penso de mim para mim…
E tudo deixaria porque “nada”, não faz parte do meu dicionário partilhado…
Exagero?
Penso de mim para mim…
Deixa, não entendas…
As palavras querem-se sem sentido porque acabam
 sempre por todo o sentido fazer.
E do que pensei de mim para mim, comigo a um acordo cheguei.
Meus cadernos te deixarei, quando partir e tu ficares…
Deixar-te-ei a palavra, que pelo meio de cearas ondulantes,
e de ventos de mudança se conjugaram nas nossas palavras.
Deixar-te-ei as palavras conjugadas na imperfeição de quem não escreve,
de quem se limita a rabiscar, palavrinhas de sentires,
“vestidos”  de vestidos coloridos, das cores do arco-íris,
e despidos por vezes de um negro cinza que sou eu.
Penso de mim para mim…
“ Deixarei a marca em ti, igual à marca que em mim deixas-te?”
Trocamos de posição sem nunca deixar que o mundo que habitamos
não se faça de palavras, ou de melodias, coloridas, que tapam o mundo,
e fazem do mundo um pequeno nada de um grande todo”.
Penso de mim para mim…
E se penso a um acordo chego, de mim para mim…”.

Maria
Beijo n´oteudoceolhar.


(P.s: Calma! Ninguém vai a lado algum, ninguém vai partir.
Mas se partisse, para a outra vida, há "bens"
(de valor bem mais sentimental do que material),
que já estão destinados a algumas pessoas.
Simples!
Tal como já tinha referido, os textos - parte - estão registados em meu nome.
Proíbida cópia, integral ou parcial sem autorização prévia).




Nota: Eu sou completamente anti Face...mas... 
A arte manifesta-se de várias formas e não posso deixar de passar a palavra a pedido de uma amiga...a sua arte?
 Espreitem e votem...Obrigada/o em nome da Rute.




Etiquetas:

14 Comentários:

Blogger Nilson Barcelli disse...

Poema complexo, ou então é porque estou cheio de sono...
Mas gostei muito. É magnífico.
Beijos, querida amig.

17 de abril de 2012 às 23:05  
Blogger Secreta disse...

Queremos sempre deixar a nossa marca, tão intensa quanto a que deixaram em nós...
E sim, há pessoas nas quais deixamos marcas incomparáveis, e essas mesmo pessoas marcam-nos dessa mesma forma.
Bem... a pessoa que eu mais quero marcar, da mesma forma que me marcou... é o meu filho :).
Uma forma única, que nunca ninguem poderá equiparar...
É assim, não é?
:)
Um beijito.


P/S: porque não tiras a verificação das palavras aqui nos comentários?... fico de cabelos brancos para conseguir enviar o comentário...

18 de abril de 2012 às 11:12  
Blogger oteudoceolhar disse...

Nilson,

o que faz não ser poeta...
Mas vá-se lá saber porque gosto imenso deste "rabisco", diz-me muito.
Também já te dei uma "dica" (passo o termo), pode ser que agora seja menos complexo...

Beijo n´oteudoceolhar.

18 de abril de 2012 às 12:04  
Blogger oteudoceolhar disse...

…dúvidas?
Nenhuma…sim com toda a certeza, que a marca maior, será a que deixamos e tudo o que passamos, aos nossos petits (um menino lindo), e daqui a uns anos, senão antes, a “factura” é paga.
Mas sim, também sabes e tanto quanto eu, que as marcas são mais que muitas e especiais algumas…Afinal passam tantas pessoas pela nossa vida, e mal de nós que as “eleitas”, não nos marcassem…ou, em alguma medida, mal de nós se na nossa passagem, não deixássemos a nossa marca, por muito pequena que possa ser..É…
Beijito n´oteudoceolhar.

18 de abril de 2012 às 12:55  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Estava mesmo com sono. E cansado... Desculpa.
Já percebi tudo, mesmo sem as tuuas notas.
Escreveste um poema muito bom, que é uma espécie de testamento de marcas em alguém.
Gostei muito.
Beijos, querida amiga.

18 de abril de 2012 às 19:18  
Blogger Sonhadora disse...

Minha querida

Um poema onde te escreveste e descreveste, um testamento poético que será eternizado nos corações que te tocam e que tocas, adorei.

Deixo o meu beijinho com carinho
Sonhadora

18 de abril de 2012 às 22:35  
Blogger Flor de Jasmim disse...

Maria querida
As marcas são infinitas sempre nos maracarm, sejam boas ou não, tu sabes amiga porque tens imensas, mas não esqueças que existem aquelas que por ti fazem a diferença e, tu tens estado a fazê-lo neste último ano.
Excelente forma a tua como sempre de nos falares dos sentimentos.

Beijinho e uma flor

19 de abril de 2012 às 11:39  
Blogger oteudoceolhar disse...

Sonhadora,

...lá está uma mulher entende sempre de uma outra forma.
Eu pelo menos entendo assim.
Queria eu saber escrever poemas, não é um poema, creio!
A mim tocam e ficará marcado numa espécie de "ferro e fogo", e mais uma vez assim entendo.
E sim a pessoa a quem deixarei, ou deixaria os meu scadernos, era mais do que merecedora dos mesmos. Pena que ao ler, a confusão fosse tal, escrevo reescrevo, passo folhas, outras sem nada, outras com, palavras a mais...Eu gosto imenso dos meus cadernos, são companheiros e "amantes" das minhas palavras...
Se iria gostar, creio que sim, nem sempre somos só nós as "meninas" a gostar destes toques de sentimentalismo...
Obrigada, por estares aí...faz tempo.

Beijo ´n´oteudoceolhar.

19 de abril de 2012 às 22:29  
Blogger oteudoceolhar disse...

Minha Flor,

como estás sempre atenta.
Sim tenho imensas marcas, mas hoje as que me marcavam mais, não marcam...
Hoje as que me marcam, com toda a certeza marcaram por muito tempo, do pouco que conheço de mim (que acredita hoje é um pouco mais do que ontem)...
Ai Flor este ultimo ano...parece que vivi toda uma vida, neste ano...e acredito que continuo viva, já viste?
Que fazer? Nada...e tudo...acima de tudo viver, cada dia, a saborear as marcas.
Os meus cadernos ficavam bem entregues.
Vamos continuar a escrever no caderno da vida sim? Força a Ti aos teus, e que a mim não me falte...e se faltar tenho aí um colinho sim?
Maria e as suas coisas...
Beijinho grande n´oteudoceolhar.

19 de abril de 2012 às 22:35  
Anonymous Osval. disse...

Muito Bom! Todo.

20 de abril de 2012 às 09:06  
Blogger PauloSilva disse...

Olá querida, tia!

Vamos pensando, não há maneira errada de o fazer, só de colocar o pensamento em prática. E disso aprendemos a fazer, a melhorar, a evitar alguns erros e a emendar outros.

O mundo é tão grande, mas as palavras tentem defini-lo, não senti-lo. Agora pensemos, de dentro para fora ou apenas por dentro...

Quando for para dormir, que seja em tempo calmo, tranquilo que nem uma gota caindo pela janela molhada...

Um grande beijinho.

21 de abril de 2012 às 12:30  
Blogger Moonlight disse...

Maria,

Palavras...palavras que se juntam a outras palavras e encaixam na prefeiçao de sentires que moram detro de nós.
Mesmo que ninguêm as entenda,sabemos que elas fazem sentido e por não...?escreve-las.São parte de nós,pedaços de nós,retalhos de nós mesmos que um dia poderam a alguêm que nos diz muito,transmitir um pouco mais de nós do nosso ser interior.
Fabuloso Maria,nunca deixes de regista-las em papel e com carinho deposita-las um dia na mãos de quem tanto nós marca e deixamos a nosso marca.

Bjinho cheio de luar

23 de abril de 2012 às 09:58  
Blogger ruteserrano disse...

Em 1º lugar um grande obrigada, pelo apoio à minha arte.
Existem artes diferentes, consideradas mais ou menos "nobres", a tua está entre as nobres a minha nas desprezadas e desvalorizadas.
Mas desenhar um bolo e transformar o desenho em realidade é uma arte.
Os Bolinhos com Amor são uma arte que descobri com o meu rebento...
Começei a fazer bolinhos com a Mariana, por amor e com amor!!!
Sempre que ela diz, mãe vamos fazer um bolo,eu coloco todo o meu amor nesse bolo e é por isso que eles são lindos e deliciosos, porque quando colocamos amor no que fazemos conseguimos fazer Arte!!!

23 de abril de 2012 às 15:07  
Blogger oteudoceolhar disse...

Em 1º lugar Maria caranguejinho, a sua arte não é nem tem de ser desvalorizada, eu entendo-te mais do que na perfeição, e eu sei o que custa ou não tivesse uma doceira lá em casa…
Carangueija dum raio, irra pá…tens habilidade na pontinha dos dedos (mãos), tal como (humildemente), eu tenho no clicks (tás a ver olha que duas humildes de trazer por casa).
Começaste a fazer e fazer muito bem, agora é ir em frente sem medo…e pelo amor da santa lembra-te que estou de dieta TÁ?
Ora muito bem a petit Mariana despertou em ti esse Dom que acabaste por desenvolver, agora é mesmo crescer, e para isso não é necessário fremento apenas e só TU.

Beijo n´oteudoceolhar, e vivam os cake pops (ai dieta).

23 de abril de 2012 às 15:12  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial