! !

terça-feira, 20 de setembro de 2011

... Nada mais importa ...





Caranguejo
19 a 25 de setembro de 2010
Carta do Dia
8 de Ouros


“Mesmo se eu soubesse que amanhã o mundo se iria partir aos pedaços, eu ainda plantaria a minha macieira.” (Martin Luther King)
Que grande exemplo! Quantos de nós fariam o mesmo? Quantas pessoas continuariam o seu caminho? Se nem os pequenos obstáculos ultrapassamos, se à mínima ameaça desistimos…
Pois é, o bem-estar pertence aos corajosos; pertence a todos aqueles que não se amedrontam com os “nãos” da vida e que se reinventam a cada queda! São eles que carregam o mundo nos ombros e o fazem crescer. Será que faz parte deste grupo restrito?
O Tarot pede-lhe que faça parte deste grupo de pessoas extraordinárias. Pode não ser fácil mas será, com toda a certeza, compensador.
Esta carta mostra a figura que um homem que trabalha alegremente. Ele é um aprendiz que mais tarde cumprirá as suas tarefas e se tornará um dia num mestre. Também ele ensinará! Todos somos aprendizes e todos seremos um dia mestres.
O 8 de Ouros aconselha a que desempenhe as suas tarefas com brio e vontade, nunca se esqueça que poder aprender coisas novas é uma bênção, a que nem toda a gente tem acesso. Não tenha pudor em pedir ajuda ou dizer que não sabe, pois ninguém nasce ensinado. Até os grandes mestres tiveram professores.

Vera Xavier - Sapo Astral
(para quem acredita nestas coisas).

 
O que é ser extraordinário? O que é ser um Ser extraordinário?
Para quê ser Ser extraordinário?
O Ser é o mais imperfeito de todos os Seres...
Eu sou um Ser imperfeito de sentimentos que entendo como perfeitos, ainda que...
Cansei-me da mentira, da falsidade.
Cansei-me de as ouvir de omitir e de também eu fazer parte de um ciclo que se tornou vicioso.
Aqui reside a diferença no hoje.
Não estou cansada, ainda não me perdoei, ainda me "fulmina" um ligeiro ódio contido,
 mas é ténue, é pequeno, a minha caixa está bem fechada e guardada,
 no fundo de um qualquer baú, e nada desejo aos que lá estão contidos,
fazem parte de um verbo que já não conjugo.
Tal e qual assim...
“Mesmo se eu soubesse que amanhã o mundo se iria partir aos pedaços, eu ainda plantaria a minha macieira.” (Mather Luther King)
Todos os passos que dou hoje, voltaria a dar e não me arrependo de um único passo dado.
Outrora, os filmes eram feitos na minha mente, imaginava cenários hipotéticos ou não, e sofria por antecipação...cada vez acredito mais que a vida nos ensina a cada dia.
Não faço filmes, ainda que crie cenários.
Não tenho medo da vida, ainda que também na reviravolta e reviravoltas
que a mesma vai dando, considere, pense...mas manda a experiência que viva hoje,
amanhã mais um passo e depois mais outro.
As "dores" de hoje são diferentes, sei que a dor psicológica por vezes é mais forte do que a dor física,
e quando a dor física chegar, estarei cá, sofro o que tiver de sofrer, mas sofro por algo que pode acontecer a qualquer um. Um corte, uma queda, quase sempre nos curamos, ao passo que as "dores" psicológicas levam tempo a sarar, mas basta querer e eu quero...
Estou cansada de desistir, cansada de pensar que não sou capaz...
Quem é mais do que eu? Porquê?
Sejam, sejam o que quiserem...eu apenas quero ser eu, na minha total imperfeição.
Quero ao cair ter a força e vontade que não tive outrora...em me levantar.
Cansei-me de pensar demasiado no que os outros pensam, fazem, ou "querem" (de mim).
Sou um caranguejo assumido, assumidíssimo, a minha natureza é esta, sentir e sentir.
Quero receber e dar uma mão...aceitar a ajuda, dar a ajuda.
Mas também quero continuar a aprender que eu sou gente,
mais mas muito mais gente, do que aquilo que sempre me incutiram...
Serei extraordinário, serei eu um ser extraordinário?
Não me importa, não me preocupa, eu sou eu, hoje mais ciente de quem sou, hoje com medos que não são os medos de ontem, são tudo aquilo que faz parte de qualquer ser...meros receios, do que surge e vai surgindo, que nos guiem os astros. Serei sempre um aprendiz, não serei jamais um sábio.
Um dia pensei ser dona da verdade, pobre de quem pensa assim. Hoje sou mero aprendiz da vida.
Mas pelo menos hoje posso dizer que a quero viver, que não quero simplesmente vegetar e fingir.
O hoje é o hoje, o amanhã será amanhã, não quero sofrer por antecipação, quero apreender a contornar esse estado de ansiedade (diz algures uma música, algures na sua letra).
Caminho longo como longa espero seja a vida, deste aprendiz...
Sempre imperfeito, mas sempre com vontade de aprender e sem se esquecer de que ao cair é só firmar os pés no chão e fazer força para cima, porque cair cansa, e eu vivi demasiados anos cansada.


Maria

Beijo n´oteudoceolhar

3 Comentários:

Blogger SOL da Esteva disse...

Maria

No teu Poema/Texto, perguntas-te:
"O que é ser extraordinário? O que é ser um Ser extraordinário?
Para quê ser Ser extraordinário?(...)"

Pois, ser extraordinário é ser capaz de procurar aperfeiçoar quanto se sente não ser perfeito; não quer dizer que somos capazes de ser perfeitos, mas somos capazes de tentar sê-lo.
Isso, Amiga, já é ser extraordinário, porque
"O Ser é o mais imperfeito de todos os Seres...(...)"

Boa questão!

Beijos

SOL

20 de setembro de 2011 às 16:16  
Blogger PauloSilva disse...

Na minha opinião se todos fossemos perfeitos o mundo tornar-se-ia uma esfera chata de carrancudos!

Um beijo, Maria *

22 de setembro de 2011 às 08:09  
Blogger PauloSilva disse...

Agradecido pelas doces palavras, querida Maria. Um óptimo inicio de semana! Beijinhos *

25 de setembro de 2011 às 21:55  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

} @media handheld { #wrap { width:90%; } #main-top { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-bot { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-content { width:100%; background:#FFF3DB; } } #inner-wrap { padding:0 50px; } #blog-header { margin-bottom:0px; } #blog-header h1 { margin:0; padding:0 0 6px 0; font-size:225%; font-weight:normal; color:#612E00; } #blog-header h1 a:link { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:visited { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:hover { border:0; text-decoration:none; } #blog-header p { margin:0; padding:0; font-style:italic; font-size:94%; line-height:1.5em; } div.clearer { clear:left; line-height:0; height:10px; margin-bottom:12px; _margin-top:-4px; /* IE Windows target */ background:url("") no-repeat bottom left; } @media all { #main { width:560px; float:left; padding:8px 0; margin-left:-40px; } #sidebar { width:240px; float:right; padding:8px 0; margin-left:-50px; } @media handheld { #main { width:100%; float:none; } #sidebar { width:100%; float:none; } } #footer { clear:both; background:url("") no-repeat top left; padding-top:10px; _padding-top:6px; /* IE Windows target */ } #footer p { line-height:1.5em; font-family:Verdana, sans-serif; font-size:75%; } /* Typography :: Main entry ----------------------------------------------- */ h2.date-header { font-weight:normal; text-transform:capitalize; text-align:right; letter-spacing:.1em; font-size:90%; margin:0; padding:0; } .post { text-align:center; margin:8px 0 24px 0; line-height:1.5em; } h3.post-title { font-weight:normal; text-align:center; font-size:140%; color:#da70cd; margin:0; padding:0; } .post-body p { text-align:center; margin:0 0 .6em 0; } .post-footer { font-family:Verdana, sans-serif; color:#da70cd; font-size:74%; border-top:0px solid #BFB186; padding-top:6px; } .post ul { margin:0; padding:0; } .post li { line-height:1.5em; list-style:none; background:url("") no-repeat 0px .3em; vertical-align:top; padding: 0 0 .6em 17px; margin:0; } /* Typography :: Sidebar ----------------------------------------------- */ h2.sidebar-title { font-weight:normal; font-size:120%; margin:0; padding:0; color:#da70cd; } h2.sidebar-title img { margin-bottom:-4px; } #sidebar ul { font-family:Verdana, sans-serif; font-size:86%; margin:6px 0 12px 0; padding:0; } #sidebar ul li { list-style: none; padding-bottom:6px; margin:0; } #sidebar p { text-align:center; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; margin:0 0 .6em 0; } /* Comments ----------------------------------------------- */ #comments {} #comments h4 { font-weight:normal; font-size:120%; color:#29303B; margin:0; padding:0; } #comments-block { line-height:1.5em; } .comment-poster { background:url("") no-repeat 2px .35em; margin:.5em 0 0; padding:0 0 0 20px; font-weight:bold; } .comment-body { margin:0; padding:0 0 0 20px; } .comment-body p { font-size:100%; margin:0 0 .2em 0; } .comment-timestamp { font-family:Verdana, sans-serif; color:#29303B; font-size:74%; margin:0 0 10px; padding:0 0 .75em 20px; } .comment-timestamp a:link { color:#473624; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:visited { color:#716E6C; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:hover { color:#956839; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:active { color:#956839; text-decoration:none; } .deleted-comment { font-style:italic; color:gray; } .paging-control-container { float: right; margin: 0px 6px 0px 0px; font-size: 80%; } .unneeded-paging-control { visibility: hidden; } /* Profile ----------------------------------------------- */ #profile-container { margin-top:12px; padding-top:12px; height:auto; background:url("") no-repeat top left; } .profile-datablock { margin:0 0 4px 0; } .profile-data { display:inline; margin:0; padding:0 8px 0 0; text-transform:uppercase; letter-spacing:.1em; font-size:90%; color:#211104; } .profile-img {display:inline;} .profile-img img { float:left; margin:0 8px 0 0; border:1px solid #A2907D; padding:2px; } .profile-textblock { font-family:Verdana, sans-serif;font-size:86%;margin:0;padding:0; } .profile-link { margin-top:5px; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; } /* Post photos ----------------------------------------------- */ img.post-photo { border:1px solid #A2907D; padding:4px; } /* Feeds ----------------------------------------------- */ #blogfeeds { } #postfeeds { padding:0 0 12px 20px; }

terça-feira, 20 de setembro de 2011

... Nada mais importa ...





Caranguejo
19 a 25 de setembro de 2010
Carta do Dia
8 de Ouros


“Mesmo se eu soubesse que amanhã o mundo se iria partir aos pedaços, eu ainda plantaria a minha macieira.” (Martin Luther King)
Que grande exemplo! Quantos de nós fariam o mesmo? Quantas pessoas continuariam o seu caminho? Se nem os pequenos obstáculos ultrapassamos, se à mínima ameaça desistimos…
Pois é, o bem-estar pertence aos corajosos; pertence a todos aqueles que não se amedrontam com os “nãos” da vida e que se reinventam a cada queda! São eles que carregam o mundo nos ombros e o fazem crescer. Será que faz parte deste grupo restrito?
O Tarot pede-lhe que faça parte deste grupo de pessoas extraordinárias. Pode não ser fácil mas será, com toda a certeza, compensador.
Esta carta mostra a figura que um homem que trabalha alegremente. Ele é um aprendiz que mais tarde cumprirá as suas tarefas e se tornará um dia num mestre. Também ele ensinará! Todos somos aprendizes e todos seremos um dia mestres.
O 8 de Ouros aconselha a que desempenhe as suas tarefas com brio e vontade, nunca se esqueça que poder aprender coisas novas é uma bênção, a que nem toda a gente tem acesso. Não tenha pudor em pedir ajuda ou dizer que não sabe, pois ninguém nasce ensinado. Até os grandes mestres tiveram professores.

Vera Xavier - Sapo Astral
(para quem acredita nestas coisas).

 
O que é ser extraordinário? O que é ser um Ser extraordinário?
Para quê ser Ser extraordinário?
O Ser é o mais imperfeito de todos os Seres...
Eu sou um Ser imperfeito de sentimentos que entendo como perfeitos, ainda que...
Cansei-me da mentira, da falsidade.
Cansei-me de as ouvir de omitir e de também eu fazer parte de um ciclo que se tornou vicioso.
Aqui reside a diferença no hoje.
Não estou cansada, ainda não me perdoei, ainda me "fulmina" um ligeiro ódio contido,
 mas é ténue, é pequeno, a minha caixa está bem fechada e guardada,
 no fundo de um qualquer baú, e nada desejo aos que lá estão contidos,
fazem parte de um verbo que já não conjugo.
Tal e qual assim...
“Mesmo se eu soubesse que amanhã o mundo se iria partir aos pedaços, eu ainda plantaria a minha macieira.” (Mather Luther King)
Todos os passos que dou hoje, voltaria a dar e não me arrependo de um único passo dado.
Outrora, os filmes eram feitos na minha mente, imaginava cenários hipotéticos ou não, e sofria por antecipação...cada vez acredito mais que a vida nos ensina a cada dia.
Não faço filmes, ainda que crie cenários.
Não tenho medo da vida, ainda que também na reviravolta e reviravoltas
que a mesma vai dando, considere, pense...mas manda a experiência que viva hoje,
amanhã mais um passo e depois mais outro.
As "dores" de hoje são diferentes, sei que a dor psicológica por vezes é mais forte do que a dor física,
e quando a dor física chegar, estarei cá, sofro o que tiver de sofrer, mas sofro por algo que pode acontecer a qualquer um. Um corte, uma queda, quase sempre nos curamos, ao passo que as "dores" psicológicas levam tempo a sarar, mas basta querer e eu quero...
Estou cansada de desistir, cansada de pensar que não sou capaz...
Quem é mais do que eu? Porquê?
Sejam, sejam o que quiserem...eu apenas quero ser eu, na minha total imperfeição.
Quero ao cair ter a força e vontade que não tive outrora...em me levantar.
Cansei-me de pensar demasiado no que os outros pensam, fazem, ou "querem" (de mim).
Sou um caranguejo assumido, assumidíssimo, a minha natureza é esta, sentir e sentir.
Quero receber e dar uma mão...aceitar a ajuda, dar a ajuda.
Mas também quero continuar a aprender que eu sou gente,
mais mas muito mais gente, do que aquilo que sempre me incutiram...
Serei extraordinário, serei eu um ser extraordinário?
Não me importa, não me preocupa, eu sou eu, hoje mais ciente de quem sou, hoje com medos que não são os medos de ontem, são tudo aquilo que faz parte de qualquer ser...meros receios, do que surge e vai surgindo, que nos guiem os astros. Serei sempre um aprendiz, não serei jamais um sábio.
Um dia pensei ser dona da verdade, pobre de quem pensa assim. Hoje sou mero aprendiz da vida.
Mas pelo menos hoje posso dizer que a quero viver, que não quero simplesmente vegetar e fingir.
O hoje é o hoje, o amanhã será amanhã, não quero sofrer por antecipação, quero apreender a contornar esse estado de ansiedade (diz algures uma música, algures na sua letra).
Caminho longo como longa espero seja a vida, deste aprendiz...
Sempre imperfeito, mas sempre com vontade de aprender e sem se esquecer de que ao cair é só firmar os pés no chão e fazer força para cima, porque cair cansa, e eu vivi demasiados anos cansada.


Maria

Beijo n´oteudoceolhar

3 Comentários:

Blogger SOL da Esteva disse...

Maria

No teu Poema/Texto, perguntas-te:
"O que é ser extraordinário? O que é ser um Ser extraordinário?
Para quê ser Ser extraordinário?(...)"

Pois, ser extraordinário é ser capaz de procurar aperfeiçoar quanto se sente não ser perfeito; não quer dizer que somos capazes de ser perfeitos, mas somos capazes de tentar sê-lo.
Isso, Amiga, já é ser extraordinário, porque
"O Ser é o mais imperfeito de todos os Seres...(...)"

Boa questão!

Beijos

SOL

20 de setembro de 2011 às 16:16  
Blogger PauloSilva disse...

Na minha opinião se todos fossemos perfeitos o mundo tornar-se-ia uma esfera chata de carrancudos!

Um beijo, Maria *

22 de setembro de 2011 às 08:09  
Blogger PauloSilva disse...

Agradecido pelas doces palavras, querida Maria. Um óptimo inicio de semana! Beijinhos *

25 de setembro de 2011 às 21:55  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial