! !

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

..." Amo-te "...




"... é um aperto que me aperta sem se desapertar...
...Quando longe de mim estás, sem que eu saiba para onde me virar...
...Perco o rumo, até que chegues, até que me aconchegue ao teu colo,
 até que segredes ao ouvido "mãe Amo-te, muito..."...
...É uma espécie de existir e deambular por aqui ou por ali,
é apenas estar, pensar, ter vontade de desistir, nada fazendo sentido ...
Tomo o rumo do telefone, ele não toca, eu toco nele, para chegar a ti,
e saltitas uma palavrinha lenta "Mãeeee...",
o coração bate, a distância encurta-se e "Filhoooo",
 assim decorrem as primeiras quatro palavras de um dialogo  de chamadass,
 de atenção, para as tarefas diárias,
 para o "tenho saudades tuas, és o meu amor...",
lá vem elas segredadas e guardadas,
cá dentro junto a todo e quaisquer lamento das palavras que guardo...
Balsamo, visto-me de imediato com o Amo-te que me dás,
o sorriso que soltas, um falamos mais logo que estou a jogar...
Pura inocência na demencência dos grandes...
É duro seu mãe, por vezes é...a Mãe é sempre "má"...
Mas, quando o mundo se revolta, e dá uma volta, nos atinge e fere...?
Qual o colinho que nos acolhe, nos mima, nos ama, incondicionalmente?
"Mãeeee"... 
Fico com esse mãe...
Aconchegado à força do não chorar da saudade de tanto te Amar...
Mesmo na ausência...
Mesmo quando a mãe é "má".
Ser "Mãe" É...
Mas ser filho também o É...
E nós somos ..."

Maria.

Beijo n´oteudoceolhar.




13 Comentários:

Blogger AFRICA EM POESIA disse...

Querida neste Outono deixo o meu vento


Queria ser
O que queria ser?
Queria ser vento...
Para ser livre...
Para te tocar
E te abraçar

E de mansinho
Chegar-me a ti
E sussurrar-te
Como gosto de ti...

E devagar
Devagarinho
Ia-te acariciando
E tu ias notando
Que eu estava aí...

E o vento
Ia crescendo
E mesmo com força
Gostava de o ser...
Para que visses
A força que tenho...

Força do vento
Vento tufão
E queria...
Poder ter-te...
Sempre na minha mão.

LILI LARANJO

29 de outubro de 2012 às 23:59  
Blogger PauloSilva disse...

Olá minha tia.
Agradecido venho com o comentário mas quem faz a vénia sou eu.
Faço-a por esse VERDADEIRO amor de mãe, por esse autentico AMOR pelo próprio amor, pela família.
E ter alguém que realmente precise dos nossos abraços, e precisando nós dos outros também... deve ser algo tremendamente fantástico.
Ainda me lembro das noites em que me assustava com a chuva e um abraço era tudo o que pedia para voltar a fechar os olhos tranquilamente e cair no sono.
Nos braços de mãe nem ventos arrastam a felicidade...
É mãe.
Um grande beijinho minha querida tia, grande mãe, grande pessoa.

30 de outubro de 2012 às 12:07  
Anonymous Osv. disse...

Gosto Muito! MJ*

30 de outubro de 2012 às 12:34  
Anonymous Pat. disse...

Quase chorei..pahh!
Mãe é mesmo isto…está-mos cá para aguentar…FORÇA MARIA!

30 de outubro de 2012 às 14:59  
Anonymous Pal. disse...

ESPETACULAR ! NÃO HÁ ADJETIVOS SUFICIENTES !

2 de novembro de 2012 às 00:14  
Blogger O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Um radioso fim de semana


Doce beijo

2 de novembro de 2012 às 21:15  
Blogger O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Um radioso fim de semana


Doce beijo

2 de novembro de 2012 às 21:15  
Blogger Braulio Pereira disse...

oh.....encanto

no teu doce olhar

minha alegria verte ao voltar


beijo.. flor





3 de novembro de 2012 às 16:12  
Blogger Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Não tenho palavras para te comentar, porque estou demasiado emocionada e os olhos estão um bocado nublados.
Os filhos são o nosso EU...o nosso altar da vida.

Deixo apenas o meu carinho e um beijinho.
Sonhadora

5 de novembro de 2012 às 23:47  
Blogger vieira calado disse...

Não é nunca demais
homenagear a mãe!

Saudações minhas!

7 de novembro de 2012 às 00:44  
Blogger Flor de Jasmim disse...

Minha querida até arrepia!
Não sei se consigo comentar, curtaste-me a respiração e as lágrimas caêm.
sou mãe, fiquei viuva muito jovem com duas filhotas, que nunca mais foram felizes, a mais nova que felizmente já se divorciou sofre bastante e vive uma vida muito dificil, com imensas dificuldades, não tanto porque faço os possiveis e impossiveis para não lhe deixar faltar pelo menos o essencial, nem a ela nem aos meus 3 netinhos,mas não é fácil, sofremos todos.
Eu aos 8 aninhos fui abandonada pela minha mãe, mas amo-a muito, e ando a sofrer demais ao ve-la presa a uma cama porque ela sofreu um AVC muito profundo.

Maria muitas felicidades para ti e teu principe.

Beijinho e uma flor

7 de novembro de 2012 às 21:50  
Blogger Secreta disse...

Lindo lindo lindo!!!!
Maes e filhos... o Amor que dura para sempre.

16 de novembro de 2012 às 14:50  
Blogger Impossible-not-fall disse...

Gosto muito deste post.
Palavras com muito carinho...


Beijo

¸.•°✿⊱╮
✿ °•.¸

20 de novembro de 2012 às 11:04  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

} @media handheld { #wrap { width:90%; } #main-top { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-bot { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-content { width:100%; background:#FFF3DB; } } #inner-wrap { padding:0 50px; } #blog-header { margin-bottom:0px; } #blog-header h1 { margin:0; padding:0 0 6px 0; font-size:225%; font-weight:normal; color:#612E00; } #blog-header h1 a:link { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:visited { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:hover { border:0; text-decoration:none; } #blog-header p { margin:0; padding:0; font-style:italic; font-size:94%; line-height:1.5em; } div.clearer { clear:left; line-height:0; height:10px; margin-bottom:12px; _margin-top:-4px; /* IE Windows target */ background:url("") no-repeat bottom left; } @media all { #main { width:560px; float:left; padding:8px 0; margin-left:-40px; } #sidebar { width:240px; float:right; padding:8px 0; margin-left:-50px; } @media handheld { #main { width:100%; float:none; } #sidebar { width:100%; float:none; } } #footer { clear:both; background:url("") no-repeat top left; padding-top:10px; _padding-top:6px; /* IE Windows target */ } #footer p { line-height:1.5em; font-family:Verdana, sans-serif; font-size:75%; } /* Typography :: Main entry ----------------------------------------------- */ h2.date-header { font-weight:normal; text-transform:capitalize; text-align:right; letter-spacing:.1em; font-size:90%; margin:0; padding:0; } .post { text-align:center; margin:8px 0 24px 0; line-height:1.5em; } h3.post-title { font-weight:normal; text-align:center; font-size:140%; color:#da70cd; margin:0; padding:0; } .post-body p { text-align:center; margin:0 0 .6em 0; } .post-footer { font-family:Verdana, sans-serif; color:#da70cd; font-size:74%; border-top:0px solid #BFB186; padding-top:6px; } .post ul { margin:0; padding:0; } .post li { line-height:1.5em; list-style:none; background:url("") no-repeat 0px .3em; vertical-align:top; padding: 0 0 .6em 17px; margin:0; } /* Typography :: Sidebar ----------------------------------------------- */ h2.sidebar-title { font-weight:normal; font-size:120%; margin:0; padding:0; color:#da70cd; } h2.sidebar-title img { margin-bottom:-4px; } #sidebar ul { font-family:Verdana, sans-serif; font-size:86%; margin:6px 0 12px 0; padding:0; } #sidebar ul li { list-style: none; padding-bottom:6px; margin:0; } #sidebar p { text-align:center; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; margin:0 0 .6em 0; } /* Comments ----------------------------------------------- */ #comments {} #comments h4 { font-weight:normal; font-size:120%; color:#29303B; margin:0; padding:0; } #comments-block { line-height:1.5em; } .comment-poster { background:url("") no-repeat 2px .35em; margin:.5em 0 0; padding:0 0 0 20px; font-weight:bold; } .comment-body { margin:0; padding:0 0 0 20px; } .comment-body p { font-size:100%; margin:0 0 .2em 0; } .comment-timestamp { font-family:Verdana, sans-serif; color:#29303B; font-size:74%; margin:0 0 10px; padding:0 0 .75em 20px; } .comment-timestamp a:link { color:#473624; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:visited { color:#716E6C; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:hover { color:#956839; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:active { color:#956839; text-decoration:none; } .deleted-comment { font-style:italic; color:gray; } .paging-control-container { float: right; margin: 0px 6px 0px 0px; font-size: 80%; } .unneeded-paging-control { visibility: hidden; } /* Profile ----------------------------------------------- */ #profile-container { margin-top:12px; padding-top:12px; height:auto; background:url("") no-repeat top left; } .profile-datablock { margin:0 0 4px 0; } .profile-data { display:inline; margin:0; padding:0 8px 0 0; text-transform:uppercase; letter-spacing:.1em; font-size:90%; color:#211104; } .profile-img {display:inline;} .profile-img img { float:left; margin:0 8px 0 0; border:1px solid #A2907D; padding:2px; } .profile-textblock { font-family:Verdana, sans-serif;font-size:86%;margin:0;padding:0; } .profile-link { margin-top:5px; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; } /* Post photos ----------------------------------------------- */ img.post-photo { border:1px solid #A2907D; padding:4px; } /* Feeds ----------------------------------------------- */ #blogfeeds { } #postfeeds { padding:0 0 12px 20px; }

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

..." Amo-te "...




"... é um aperto que me aperta sem se desapertar...
...Quando longe de mim estás, sem que eu saiba para onde me virar...
...Perco o rumo, até que chegues, até que me aconchegue ao teu colo,
 até que segredes ao ouvido "mãe Amo-te, muito..."...
...É uma espécie de existir e deambular por aqui ou por ali,
é apenas estar, pensar, ter vontade de desistir, nada fazendo sentido ...
Tomo o rumo do telefone, ele não toca, eu toco nele, para chegar a ti,
e saltitas uma palavrinha lenta "Mãeeee...",
o coração bate, a distância encurta-se e "Filhoooo",
 assim decorrem as primeiras quatro palavras de um dialogo  de chamadass,
 de atenção, para as tarefas diárias,
 para o "tenho saudades tuas, és o meu amor...",
lá vem elas segredadas e guardadas,
cá dentro junto a todo e quaisquer lamento das palavras que guardo...
Balsamo, visto-me de imediato com o Amo-te que me dás,
o sorriso que soltas, um falamos mais logo que estou a jogar...
Pura inocência na demencência dos grandes...
É duro seu mãe, por vezes é...a Mãe é sempre "má"...
Mas, quando o mundo se revolta, e dá uma volta, nos atinge e fere...?
Qual o colinho que nos acolhe, nos mima, nos ama, incondicionalmente?
"Mãeeee"... 
Fico com esse mãe...
Aconchegado à força do não chorar da saudade de tanto te Amar...
Mesmo na ausência...
Mesmo quando a mãe é "má".
Ser "Mãe" É...
Mas ser filho também o É...
E nós somos ..."

Maria.

Beijo n´oteudoceolhar.




13 Comentários:

Blogger AFRICA EM POESIA disse...

Querida neste Outono deixo o meu vento


Queria ser
O que queria ser?
Queria ser vento...
Para ser livre...
Para te tocar
E te abraçar

E de mansinho
Chegar-me a ti
E sussurrar-te
Como gosto de ti...

E devagar
Devagarinho
Ia-te acariciando
E tu ias notando
Que eu estava aí...

E o vento
Ia crescendo
E mesmo com força
Gostava de o ser...
Para que visses
A força que tenho...

Força do vento
Vento tufão
E queria...
Poder ter-te...
Sempre na minha mão.

LILI LARANJO

29 de outubro de 2012 às 23:59  
Blogger PauloSilva disse...

Olá minha tia.
Agradecido venho com o comentário mas quem faz a vénia sou eu.
Faço-a por esse VERDADEIRO amor de mãe, por esse autentico AMOR pelo próprio amor, pela família.
E ter alguém que realmente precise dos nossos abraços, e precisando nós dos outros também... deve ser algo tremendamente fantástico.
Ainda me lembro das noites em que me assustava com a chuva e um abraço era tudo o que pedia para voltar a fechar os olhos tranquilamente e cair no sono.
Nos braços de mãe nem ventos arrastam a felicidade...
É mãe.
Um grande beijinho minha querida tia, grande mãe, grande pessoa.

30 de outubro de 2012 às 12:07  
Anonymous Osv. disse...

Gosto Muito! MJ*

30 de outubro de 2012 às 12:34  
Anonymous Pat. disse...

Quase chorei..pahh!
Mãe é mesmo isto…está-mos cá para aguentar…FORÇA MARIA!

30 de outubro de 2012 às 14:59  
Anonymous Pal. disse...

ESPETACULAR ! NÃO HÁ ADJETIVOS SUFICIENTES !

2 de novembro de 2012 às 00:14  
Blogger O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Um radioso fim de semana


Doce beijo

2 de novembro de 2012 às 21:15  
Blogger O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Um radioso fim de semana


Doce beijo

2 de novembro de 2012 às 21:15  
Blogger Braulio Pereira disse...

oh.....encanto

no teu doce olhar

minha alegria verte ao voltar


beijo.. flor





3 de novembro de 2012 às 16:12  
Blogger Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Não tenho palavras para te comentar, porque estou demasiado emocionada e os olhos estão um bocado nublados.
Os filhos são o nosso EU...o nosso altar da vida.

Deixo apenas o meu carinho e um beijinho.
Sonhadora

5 de novembro de 2012 às 23:47  
Blogger vieira calado disse...

Não é nunca demais
homenagear a mãe!

Saudações minhas!

7 de novembro de 2012 às 00:44  
Blogger Flor de Jasmim disse...

Minha querida até arrepia!
Não sei se consigo comentar, curtaste-me a respiração e as lágrimas caêm.
sou mãe, fiquei viuva muito jovem com duas filhotas, que nunca mais foram felizes, a mais nova que felizmente já se divorciou sofre bastante e vive uma vida muito dificil, com imensas dificuldades, não tanto porque faço os possiveis e impossiveis para não lhe deixar faltar pelo menos o essencial, nem a ela nem aos meus 3 netinhos,mas não é fácil, sofremos todos.
Eu aos 8 aninhos fui abandonada pela minha mãe, mas amo-a muito, e ando a sofrer demais ao ve-la presa a uma cama porque ela sofreu um AVC muito profundo.

Maria muitas felicidades para ti e teu principe.

Beijinho e uma flor

7 de novembro de 2012 às 21:50  
Blogger Secreta disse...

Lindo lindo lindo!!!!
Maes e filhos... o Amor que dura para sempre.

16 de novembro de 2012 às 14:50  
Blogger Impossible-not-fall disse...

Gosto muito deste post.
Palavras com muito carinho...


Beijo

¸.•°✿⊱╮
✿ °•.¸

20 de novembro de 2012 às 11:04  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial