! !

quarta-feira, 11 de julho de 2012

... "Ilha dos Amores" ...




“Não quero ter vista para a “ilha dos horrores”…
Quero olhar-te e ver-te a Ti e em Ti a “ilha dos amores”.
Quero sentar-me aqui, assim de sorriso nos lábios a olhar para Ti…
Ver as ondas irem ao teu encontro.
Olhar as gaivotas sobre Ti voarem, em ti repousarem.
Deixa-me olhar-te a Ti “ilha dos amores”…
Dos tantos que por aqui passam,
e enamorados para Ti olham, com doces pecados,
por pensamentos inalterados, com caminhos a fazer inacabados.
Olho-te e por vezes olho-os,
de olhos em Ti pousados, em ti encantados.
Gostava de lhes ler o pensamento,
quando cúmplices se olham, em mil e uma promessas,
que se desenham num e noutro olhar.
Olho-os quando de fronte a ti se sentam,
com uma lágrima, posta e sobreposta num rosto,
que sopra “tiradas” lágrimas ao vento, que sinto e contemplo.
Tu ó “Ilha do amores”, acalenta os tremores, dos ditos corações…
Desolados em contemplação de “quês”, e “porquês”, em Ti…
Traz-lhes o sol, o ânimo o alento.
Segreda-lhes que não há pelo que equacionarem, pelo que temerem.
Acalma-lhes a alma, o espírito, recorda-lhes que sim, por vezes sobre Ti, o sol também se põem lá no planalto, feito do alto mar…
Traz-lhes ao olhar o brilho de simplesmente olhar para Ti…
Ilha dos Amores”.

Maria.

Beijo n´oteudoceolhar.

(Proibida cópia integral ou parcial. Texto de minha autoria, registado em meu nome)






14 Comentários:

Blogger Flor de Jasmim disse...

Maria minha querida amiga
Continua sim a sentares-te aí assim de sorriso nos lábios!
Pois só por isso ficarei por ti feliz.
Querida para mim ler-te é como se estivesses aqui lado a lado e falarmos,é a sensação boa que consegues transmitir para mim.

Beijinho e uma flor

11 de julho de 2012 às 21:47  
Blogger oteudoceolhar disse...

Minha Flor,

tu és uma querida...
Sabes como fico feliz por ler? É um balsamo a vossa companhia aí desse lado. Ingrata sou pelas poucas visitas, mas muito agradecida, por te lembrares sempre de mim.
Obrigada!
Eu ainda não estive lá, mas consigo transportar-me lá...simples. Lá é mesmo casa...é o ,meu mundo, entendes?

Posso estar de mal, mas pensar em casa, é ameenizar as dores, se elas existirem e manter o sorriso aqui nos lábios...E depois diz lá se aquela ilha encantada não pode ser senão a ilha dos amores?
Só pode :)...
Adoro-te obrigada...e quando quiseres diz...arranjamos forma e vou ver-te, sentar-me aí ao teu lado.

Beijo n´oteudoceolhar*

11 de julho de 2012 às 22:20  
Blogger PauloSilva disse...

Maria, é um nome simples não é?
E acresce a simplicidade na profundidade, bem, digo eu que tanto penso que esta minha tia me tem hábito de chamar de Pensador. Não sei se penso se repenso, por vezes ou se apenas insisto em pensar no repensado. Sou confuso, como uma ilha que não sabe para onde se desloca se se desloca. Minha tia, simples como o ar que respiramos. Simples como a vida mais complexa. E agora não fiz sentido! Ou será que fiz?
«Tu ó “Ilha do amores”, acalenta os tremores, dos ditos corações…
Desolados em contemplação de “quês”, e “porquês”, em Ti…» Esta passagem foi aquela que me reteu o sentir. Gostava de viver nessa dita ilha. Porque nela, não há horrores mas tremores, só há sentir e não partir. Porque quem chega, não sai, se amor for. Digo eu, que nada sei!
Um grande beijinho deste sobrinho que tem muita pena de não ter mais tempo para dedicar a leituras e comentários mas sempre estará a abraçar esta tia, intensamente.

13 de julho de 2012 às 19:30  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Ver a ilha dos ampores em cada olhar é uma felicidade...
O teu poema é magnífico, gostei imenso, querida amiga.
Um beijo, Maria.

17 de julho de 2012 às 22:43  
Blogger Sonhadora disse...

Minha querida

Quanta doçura se desprende desse olhar que se estende para o infinito, apenas com o céu por testemunha, é tão bom disfrutar de momentos assim.
Lindo como sempre ler a tua alma.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

18 de julho de 2012 às 00:38  
Blogger oteudoceolhar disse...

… sim maria é um nome simples Pensador.
Diz-me que mais te poderia eu Maria chamar-te além de Pensador…só mesmo sobrinho.
Tu pensas e repensas, eu repenso e penso, em tanto e em nada… as nossas mentes, são um “mar” de sentir, não há nada a fazer. A ilha espero que os Deuses do Olimpo a mantenham por ali por muitos mais anos, eu vejo-a como ilha dos amores. Vejo-a simples nesta que é uma vida cheia de contrariedades e complexidades (se não existe a palavra passa já a fazer parte do nosso dicionário) …
Eu gostava também de viver naquela ilha, viver de, e com tremores, batimentos levados e tidos cá dentro com um bater certo, nunca incerto, com certezas em todos os porquês que comungam nos meus quês…Quem ali chega não pode sair, não tem como, pode ficar porém ficar guardado algures numa gaveta almofadada, mas não sai.
E se sair, será num barco a remos, para caso tenha tido uma permanência feliz ali, vá saindo, vá indo com tempo calma e sem pressa…Mas isso somos nós Pensador, nós que sem medo sentimos…os demais, são diferentes. Possivelmente fazem-se ao mar, seja de que forma for, apenas para dali fugir, porque sentir custa, manter o sentir custa, e ter tudo de mão beijada, custa afinal de contas tão pouco.
Um brinde a nós Pensador… sejamos apenas e só assim…Nós!
A sua Tia aceita esse abraço forte e devolve na esperança de que o seu sobrinho tenha sempre presença na mente e no rosto o sorriso, no coração e na alma, as palavras.
Beijo n´oteudoceolhar.

18 de julho de 2012 às 17:02  
Blogger oteudoceolhar disse...

Nilson,

Vindo de um Poeta como Tu Nilson…só tenho de fazer a devida vénia, o devido agradecimento e olhar-te posto, também tu na ilha dos amores. Em cada olhar, em cada palavra tua. Que te assistam sempre, que nunca uma te falte, que nunca te fujam as palavras e o sentir.
Um beijo n´oteudoceolhar *

18 de julho de 2012 às 17:04  
Blogger oteudoceolhar disse...

Sonhadora,

Bom é saber que há pessoas como vocês e como eu, que sabem ler, aqui pelas palavras tudo o que pode estar longe do olhar…” Lindo como sempre ler a tua alma”.
A alma está longe, muito longe, deixai-a por lá ficar, onde não sei, onde não vou procurar, onde procuro não encontrar. Deixai a alma apenas a navegar algures por entre norte ou sul, perdida, deixai-a. Sã apenas e só Sã, para agir a cada passo a cada, decisão, a cada colorir de palavras e letras…
Voçês fazem-me sentir “gente”, verdade que sim…
Minha querida um imenso beijo n´oteudoceolhar *

18 de julho de 2012 às 17:08  
Blogger Impossible-not-fall disse...

Passei cá e fiquei maravilhada com um som que nos envolve, com uma escrita sublime!!!

Eu também não quero uma ilha de horrores, mas sim uma ilha de amores, onde tudo cresça a cada passo, onde tudo mostre como lá é o nosso lugar!!!

O teu olhar e o teu sentir deixa-me com um sorriso no rosto...

Passar cá fortalece-me!!! Beijinho

18 de julho de 2012 às 18:08  
Blogger O Profeta disse...

Aconteça o que acontecer amanhã
Já tive o dia de hoje
Aconteça que não veja mais o mesmo céu
Nem uma Lua que envergonhada foge

Cada silaba minha traz o Inverno
À poeta sem luz ou louvor
Não quero que morra a minha herança de alegria
Nem que me atirem mais a palavra amor
Bom fim de semana

Doce beijo

20 de julho de 2012 às 22:35  
Blogger Secreta disse...

Precisava, neste momento d'uma "Ilha dos Amores", onde pudesse repousar o coração. Onde pudesse recuperar forças, e sorrir.

Tocam-me tanto as tuas palavras, o teu olhar.

Um beijito.

23 de julho de 2012 às 16:53  
Blogger oteudoceolhar disse...

Profeta,

já li o teu comentário, aliás li assim que comentaste...fiquei a saborear as palavras, porque eu e os poetas. Eu queria ser poeta, mas a minha alma não alcança tão longe quanto a alma de um poeta ... algures me enquadro, algures ... mas procuro, escrever de alma e coração aberto. Assim me foi ensinado, assim foi feita a minha liberdade ...
Tu escreves de forma, única como único é o sentir de um Poeta, e depois a combinação perfeita com a música ...
Beijo n´oteudoceolhar ... que te assista sempre a inspiração *

23 de julho de 2012 às 17:05  
Blogger oteudoceolhar disse...

Secreta,

...quem não precisa de uma Ilha dos Amores? Diz-me...eu tenho-a é minha muito minha, mas tenho de estar longe dela, tenho de manter o coração ao largo, quando apenas o queria manter ali. Mantê-lo puro, bem longe dos olhares, cínicos do mundo...Dá-me a mão, fugimos de cá e vamos para lá ...

As nossas palavras tocam-se, porque somos um pouco o espelho uma da outra, porque nos identificamos ... quanto ao olhar... Obrigada*
Gosto-te Imensamente *
Força, estou aqui...
Beijo n´oteudoceolhar *

23 de julho de 2012 às 17:10  
Blogger oteudoceolhar disse...

Impossible,

que te sintas sempre, sempre fortalecida pelas palavras de Maria, significará, apenas e só que Maria se sente fortemente, forte por vos ter aí desse lado de sorriso no rosto, deixando Maria a sorrir ...

Beijo n´oteudoceolhar *

23 de julho de 2012 às 21:44  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

} @media handheld { #wrap { width:90%; } #main-top { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-bot { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-content { width:100%; background:#FFF3DB; } } #inner-wrap { padding:0 50px; } #blog-header { margin-bottom:0px; } #blog-header h1 { margin:0; padding:0 0 6px 0; font-size:225%; font-weight:normal; color:#612E00; } #blog-header h1 a:link { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:visited { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:hover { border:0; text-decoration:none; } #blog-header p { margin:0; padding:0; font-style:italic; font-size:94%; line-height:1.5em; } div.clearer { clear:left; line-height:0; height:10px; margin-bottom:12px; _margin-top:-4px; /* IE Windows target */ background:url("") no-repeat bottom left; } @media all { #main { width:560px; float:left; padding:8px 0; margin-left:-40px; } #sidebar { width:240px; float:right; padding:8px 0; margin-left:-50px; } @media handheld { #main { width:100%; float:none; } #sidebar { width:100%; float:none; } } #footer { clear:both; background:url("") no-repeat top left; padding-top:10px; _padding-top:6px; /* IE Windows target */ } #footer p { line-height:1.5em; font-family:Verdana, sans-serif; font-size:75%; } /* Typography :: Main entry ----------------------------------------------- */ h2.date-header { font-weight:normal; text-transform:capitalize; text-align:right; letter-spacing:.1em; font-size:90%; margin:0; padding:0; } .post { text-align:center; margin:8px 0 24px 0; line-height:1.5em; } h3.post-title { font-weight:normal; text-align:center; font-size:140%; color:#da70cd; margin:0; padding:0; } .post-body p { text-align:center; margin:0 0 .6em 0; } .post-footer { font-family:Verdana, sans-serif; color:#da70cd; font-size:74%; border-top:0px solid #BFB186; padding-top:6px; } .post ul { margin:0; padding:0; } .post li { line-height:1.5em; list-style:none; background:url("") no-repeat 0px .3em; vertical-align:top; padding: 0 0 .6em 17px; margin:0; } /* Typography :: Sidebar ----------------------------------------------- */ h2.sidebar-title { font-weight:normal; font-size:120%; margin:0; padding:0; color:#da70cd; } h2.sidebar-title img { margin-bottom:-4px; } #sidebar ul { font-family:Verdana, sans-serif; font-size:86%; margin:6px 0 12px 0; padding:0; } #sidebar ul li { list-style: none; padding-bottom:6px; margin:0; } #sidebar p { text-align:center; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; margin:0 0 .6em 0; } /* Comments ----------------------------------------------- */ #comments {} #comments h4 { font-weight:normal; font-size:120%; color:#29303B; margin:0; padding:0; } #comments-block { line-height:1.5em; } .comment-poster { background:url("") no-repeat 2px .35em; margin:.5em 0 0; padding:0 0 0 20px; font-weight:bold; } .comment-body { margin:0; padding:0 0 0 20px; } .comment-body p { font-size:100%; margin:0 0 .2em 0; } .comment-timestamp { font-family:Verdana, sans-serif; color:#29303B; font-size:74%; margin:0 0 10px; padding:0 0 .75em 20px; } .comment-timestamp a:link { color:#473624; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:visited { color:#716E6C; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:hover { color:#956839; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:active { color:#956839; text-decoration:none; } .deleted-comment { font-style:italic; color:gray; } .paging-control-container { float: right; margin: 0px 6px 0px 0px; font-size: 80%; } .unneeded-paging-control { visibility: hidden; } /* Profile ----------------------------------------------- */ #profile-container { margin-top:12px; padding-top:12px; height:auto; background:url("") no-repeat top left; } .profile-datablock { margin:0 0 4px 0; } .profile-data { display:inline; margin:0; padding:0 8px 0 0; text-transform:uppercase; letter-spacing:.1em; font-size:90%; color:#211104; } .profile-img {display:inline;} .profile-img img { float:left; margin:0 8px 0 0; border:1px solid #A2907D; padding:2px; } .profile-textblock { font-family:Verdana, sans-serif;font-size:86%;margin:0;padding:0; } .profile-link { margin-top:5px; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; } /* Post photos ----------------------------------------------- */ img.post-photo { border:1px solid #A2907D; padding:4px; } /* Feeds ----------------------------------------------- */ #blogfeeds { } #postfeeds { padding:0 0 12px 20px; }

quarta-feira, 11 de julho de 2012

... "Ilha dos Amores" ...




“Não quero ter vista para a “ilha dos horrores”…
Quero olhar-te e ver-te a Ti e em Ti a “ilha dos amores”.
Quero sentar-me aqui, assim de sorriso nos lábios a olhar para Ti…
Ver as ondas irem ao teu encontro.
Olhar as gaivotas sobre Ti voarem, em ti repousarem.
Deixa-me olhar-te a Ti “ilha dos amores”…
Dos tantos que por aqui passam,
e enamorados para Ti olham, com doces pecados,
por pensamentos inalterados, com caminhos a fazer inacabados.
Olho-te e por vezes olho-os,
de olhos em Ti pousados, em ti encantados.
Gostava de lhes ler o pensamento,
quando cúmplices se olham, em mil e uma promessas,
que se desenham num e noutro olhar.
Olho-os quando de fronte a ti se sentam,
com uma lágrima, posta e sobreposta num rosto,
que sopra “tiradas” lágrimas ao vento, que sinto e contemplo.
Tu ó “Ilha do amores”, acalenta os tremores, dos ditos corações…
Desolados em contemplação de “quês”, e “porquês”, em Ti…
Traz-lhes o sol, o ânimo o alento.
Segreda-lhes que não há pelo que equacionarem, pelo que temerem.
Acalma-lhes a alma, o espírito, recorda-lhes que sim, por vezes sobre Ti, o sol também se põem lá no planalto, feito do alto mar…
Traz-lhes ao olhar o brilho de simplesmente olhar para Ti…
Ilha dos Amores”.

Maria.

Beijo n´oteudoceolhar.

(Proibida cópia integral ou parcial. Texto de minha autoria, registado em meu nome)






14 Comentários:

Blogger Flor de Jasmim disse...

Maria minha querida amiga
Continua sim a sentares-te aí assim de sorriso nos lábios!
Pois só por isso ficarei por ti feliz.
Querida para mim ler-te é como se estivesses aqui lado a lado e falarmos,é a sensação boa que consegues transmitir para mim.

Beijinho e uma flor

11 de julho de 2012 às 21:47  
Blogger oteudoceolhar disse...

Minha Flor,

tu és uma querida...
Sabes como fico feliz por ler? É um balsamo a vossa companhia aí desse lado. Ingrata sou pelas poucas visitas, mas muito agradecida, por te lembrares sempre de mim.
Obrigada!
Eu ainda não estive lá, mas consigo transportar-me lá...simples. Lá é mesmo casa...é o ,meu mundo, entendes?

Posso estar de mal, mas pensar em casa, é ameenizar as dores, se elas existirem e manter o sorriso aqui nos lábios...E depois diz lá se aquela ilha encantada não pode ser senão a ilha dos amores?
Só pode :)...
Adoro-te obrigada...e quando quiseres diz...arranjamos forma e vou ver-te, sentar-me aí ao teu lado.

Beijo n´oteudoceolhar*

11 de julho de 2012 às 22:20  
Blogger PauloSilva disse...

Maria, é um nome simples não é?
E acresce a simplicidade na profundidade, bem, digo eu que tanto penso que esta minha tia me tem hábito de chamar de Pensador. Não sei se penso se repenso, por vezes ou se apenas insisto em pensar no repensado. Sou confuso, como uma ilha que não sabe para onde se desloca se se desloca. Minha tia, simples como o ar que respiramos. Simples como a vida mais complexa. E agora não fiz sentido! Ou será que fiz?
«Tu ó “Ilha do amores”, acalenta os tremores, dos ditos corações…
Desolados em contemplação de “quês”, e “porquês”, em Ti…» Esta passagem foi aquela que me reteu o sentir. Gostava de viver nessa dita ilha. Porque nela, não há horrores mas tremores, só há sentir e não partir. Porque quem chega, não sai, se amor for. Digo eu, que nada sei!
Um grande beijinho deste sobrinho que tem muita pena de não ter mais tempo para dedicar a leituras e comentários mas sempre estará a abraçar esta tia, intensamente.

13 de julho de 2012 às 19:30  
Blogger Nilson Barcelli disse...

Ver a ilha dos ampores em cada olhar é uma felicidade...
O teu poema é magnífico, gostei imenso, querida amiga.
Um beijo, Maria.

17 de julho de 2012 às 22:43  
Blogger Sonhadora disse...

Minha querida

Quanta doçura se desprende desse olhar que se estende para o infinito, apenas com o céu por testemunha, é tão bom disfrutar de momentos assim.
Lindo como sempre ler a tua alma.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

18 de julho de 2012 às 00:38  
Blogger oteudoceolhar disse...

… sim maria é um nome simples Pensador.
Diz-me que mais te poderia eu Maria chamar-te além de Pensador…só mesmo sobrinho.
Tu pensas e repensas, eu repenso e penso, em tanto e em nada… as nossas mentes, são um “mar” de sentir, não há nada a fazer. A ilha espero que os Deuses do Olimpo a mantenham por ali por muitos mais anos, eu vejo-a como ilha dos amores. Vejo-a simples nesta que é uma vida cheia de contrariedades e complexidades (se não existe a palavra passa já a fazer parte do nosso dicionário) …
Eu gostava também de viver naquela ilha, viver de, e com tremores, batimentos levados e tidos cá dentro com um bater certo, nunca incerto, com certezas em todos os porquês que comungam nos meus quês…Quem ali chega não pode sair, não tem como, pode ficar porém ficar guardado algures numa gaveta almofadada, mas não sai.
E se sair, será num barco a remos, para caso tenha tido uma permanência feliz ali, vá saindo, vá indo com tempo calma e sem pressa…Mas isso somos nós Pensador, nós que sem medo sentimos…os demais, são diferentes. Possivelmente fazem-se ao mar, seja de que forma for, apenas para dali fugir, porque sentir custa, manter o sentir custa, e ter tudo de mão beijada, custa afinal de contas tão pouco.
Um brinde a nós Pensador… sejamos apenas e só assim…Nós!
A sua Tia aceita esse abraço forte e devolve na esperança de que o seu sobrinho tenha sempre presença na mente e no rosto o sorriso, no coração e na alma, as palavras.
Beijo n´oteudoceolhar.

18 de julho de 2012 às 17:02  
Blogger oteudoceolhar disse...

Nilson,

Vindo de um Poeta como Tu Nilson…só tenho de fazer a devida vénia, o devido agradecimento e olhar-te posto, também tu na ilha dos amores. Em cada olhar, em cada palavra tua. Que te assistam sempre, que nunca uma te falte, que nunca te fujam as palavras e o sentir.
Um beijo n´oteudoceolhar *

18 de julho de 2012 às 17:04  
Blogger oteudoceolhar disse...

Sonhadora,

Bom é saber que há pessoas como vocês e como eu, que sabem ler, aqui pelas palavras tudo o que pode estar longe do olhar…” Lindo como sempre ler a tua alma”.
A alma está longe, muito longe, deixai-a por lá ficar, onde não sei, onde não vou procurar, onde procuro não encontrar. Deixai a alma apenas a navegar algures por entre norte ou sul, perdida, deixai-a. Sã apenas e só Sã, para agir a cada passo a cada, decisão, a cada colorir de palavras e letras…
Voçês fazem-me sentir “gente”, verdade que sim…
Minha querida um imenso beijo n´oteudoceolhar *

18 de julho de 2012 às 17:08  
Blogger Impossible-not-fall disse...

Passei cá e fiquei maravilhada com um som que nos envolve, com uma escrita sublime!!!

Eu também não quero uma ilha de horrores, mas sim uma ilha de amores, onde tudo cresça a cada passo, onde tudo mostre como lá é o nosso lugar!!!

O teu olhar e o teu sentir deixa-me com um sorriso no rosto...

Passar cá fortalece-me!!! Beijinho

18 de julho de 2012 às 18:08  
Blogger O Profeta disse...

Aconteça o que acontecer amanhã
Já tive o dia de hoje
Aconteça que não veja mais o mesmo céu
Nem uma Lua que envergonhada foge

Cada silaba minha traz o Inverno
À poeta sem luz ou louvor
Não quero que morra a minha herança de alegria
Nem que me atirem mais a palavra amor
Bom fim de semana

Doce beijo

20 de julho de 2012 às 22:35  
Blogger Secreta disse...

Precisava, neste momento d'uma "Ilha dos Amores", onde pudesse repousar o coração. Onde pudesse recuperar forças, e sorrir.

Tocam-me tanto as tuas palavras, o teu olhar.

Um beijito.

23 de julho de 2012 às 16:53  
Blogger oteudoceolhar disse...

Profeta,

já li o teu comentário, aliás li assim que comentaste...fiquei a saborear as palavras, porque eu e os poetas. Eu queria ser poeta, mas a minha alma não alcança tão longe quanto a alma de um poeta ... algures me enquadro, algures ... mas procuro, escrever de alma e coração aberto. Assim me foi ensinado, assim foi feita a minha liberdade ...
Tu escreves de forma, única como único é o sentir de um Poeta, e depois a combinação perfeita com a música ...
Beijo n´oteudoceolhar ... que te assista sempre a inspiração *

23 de julho de 2012 às 17:05  
Blogger oteudoceolhar disse...

Secreta,

...quem não precisa de uma Ilha dos Amores? Diz-me...eu tenho-a é minha muito minha, mas tenho de estar longe dela, tenho de manter o coração ao largo, quando apenas o queria manter ali. Mantê-lo puro, bem longe dos olhares, cínicos do mundo...Dá-me a mão, fugimos de cá e vamos para lá ...

As nossas palavras tocam-se, porque somos um pouco o espelho uma da outra, porque nos identificamos ... quanto ao olhar... Obrigada*
Gosto-te Imensamente *
Força, estou aqui...
Beijo n´oteudoceolhar *

23 de julho de 2012 às 17:10  
Blogger oteudoceolhar disse...

Impossible,

que te sintas sempre, sempre fortalecida pelas palavras de Maria, significará, apenas e só que Maria se sente fortemente, forte por vos ter aí desse lado de sorriso no rosto, deixando Maria a sorrir ...

Beijo n´oteudoceolhar *

23 de julho de 2012 às 21:44  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial