! !

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

... Mar, o meu Mar ...


A ansiedade invade-me a alma.
Neste momento preciso de Ti, como a rosa precisa de uma gota de água…
Como quem precisa de um sopro de vida,
a vida que sinto sempre que defronte a Ti me vejo.
Ansiedade, que se quebra, pela vontade das gentes em deambular,
por aqui e por ali, e eu só Te quero a Ti,
 ”jogo-me” ao caminho.
De tão perto parece que falta uma eternidade…
O ar que se respira, nem sei que nome lhe dar além de ar…
Estou em casa, na minha, no meu mundo…
Tudo está como quando deixei a casa da ultima vez.
O meu banquinho, o meu farol e Tu.
- senti a tua falta, tanto mas tanto.
- eu estou aqui, eu estou sempre aqui.
-eu sei, eu sei que estás.
Sei que não me faltas, sei que estás sempre aqui.
-porque demoras-te?
-porque não consegui vir antes, sabes que viria.
-fala comigo…
-que queres saber?
Nem sinto vontade de falar, apenas olhar-te, sentir-te.
Fazes-me tanta falta.
-sabes que te ouço, diz-me que se passa?
-que dizer? Tanto passou-se tanto, e para que dizer-te quando
 Tu de mim tudo sabes.
Não quero, não faz sentido nem tão pouco vale a pena.
Precisava respirar-te, a Tua imensidão faz-me voar no hoje,
no amanhã e no agora…dás-me tanta paz.
- eu sei, eu sei que dou. Pensas que não sei?
Não és a única que o sente, imagina esse banco…imagina.
Pensa.
Quantas almas se sentam aí?
Imagina, quantas, todos os dias acalento e alimento.
Mas estou aqui e quando precisas,
quando corres para os meus braços, eu estou aqui.
-eu eu corro…
As gentes surgem do nada, e eu apenas vou a tempo de dizer “venho já…”
Sem quaisquer planos, de me jogar a Ti, é em Ti que me quero jogar.
Gelo que quebra, que quase corta,
de tanto prazer que me dá, confunde-se no misto que me envolve,
que te toma que me doma…
De novo juntos, em plena comunhão, Eu e Tu…
O gelo não existe, porque não faz sentido,
o Teu sabor mantêm-se inalterável, e sabes-me tão bem…
Sabor que conheço de cor, o corpo salgado, sabor de eterno pecado,
de mim em Ti…que acalentes as almas, todas quanto quiseres,
eu sei que vais estar sempre aqui para mim…
e quando isso acontece, somos apenas Tu e eu e nada nos move,
de sermos um.
-Diz-me…
-que queres que te diga?
-Não digas…eu sei.
Abraço-te, num mergulho de perder o fôlego, vida, dás-me vida…
O mundo perde-se quando me perco em Ti…
o mundo que fique onde está.
Eu fico aqui…
-deixa-me ficar.
-não podes.
-mas quero, deixa-me ficar de uma vez.
-não deixo, não faz sentido ser assim, o teu hoje não é aqui nem agora.
-mas aqui estou em casa.
-não aqui alimentas-te e voltas a casa.
-deixa.
-não. Voltas sempre que tiveres que voltar.
Mas eu sei e tu sabes, a vida começou agora, não acabou…
Agora é que ela começou … vai vivê-la, sem medo…vai, e volta, estarei aqui sempre que precisares, sempre que me quiseres ver, basta fechares os olhos ou simplesmente vem…
Amar-te-ei sempre, estarei aqui sempre para ti.
Para te Amar, eu que sou o teu Mar.
E eu vou porque Tu sabes, e sim eu sei, a vida agora começou…
E sim ainda que em plena comunhão, faço falta, faço muita falta,
E não é nem no aqui nem no agora, ainda que aqui esteja em casa,
não é agora que tenho de ficar aqui.
Tu sabes eu vou, mas eu volto, para te amar meu Mar.
Sempre.

Maria

Beijo n´oteudocelhar

10 Comentários:

Blogger Flor de Jasmim disse...

Maria minha querida
Quando te sentires triste
fecha os olhos
pensa em mim e sorri
pensa que longe
mas tens alguém
que muito gosta de ti.

Beijinho n,oteudoceolhar

4 de agosto de 2011 às 17:08  
Blogger A.S. disse...

Mar!
Onde podes beber sol e liberdade
Longe de angústias e de medos
Sentar-te no colo dos rochedos
Perder-te no azul que te invade
E contar ao mar os teus segredos!...


Beijos meus...
AL

5 de agosto de 2011 às 18:30  
Blogger PauloSilva disse...

O Alentejo é lindo de verdade. Autenticamente selvagem e genuíno! Agradecido pelo comentário, querida Maria.

A vida começa e recomeça vezes e vezes sem conta, só acaba uma vez. Por isso até lá... vamos vivendo por aqui, por ali na nossa vida.

6 de agosto de 2011 às 19:47  
Blogger Evanir disse...

Maria Minha Querida..
Eu demorei é bem verdade senti uma enorme saudade de estar aqui.
Querida estou emocionada diante desse texto que dou nome de poesia.
Colocaste o intimo do seu ser em cada palavra .
Quero que venha no meu blog minha amiga estou precisando ser rodeada de minhas amigas.Uma linda semana Deus tem benção sem medidas para você.
beijos meus,Evanir.

7 de agosto de 2011 às 20:25  
Blogger Check Point Charlie disse...

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!


Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Para quem o Mar nunca é fim, antes um princípio : para ti !

Um beijo n'oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 12:13  
Blogger oteudoceolhar disse...

Minha flor,
Maria está de volta, alguma vez, aqgora que recomecei vou parar.
Não se sabe verdade, as partidas que nos prega a “inspiração” …espero mantê-la, ajuda-me a sentir um pouco de sanidade, na insanidade da vida.
Claro que fica um sorriso para ti minha amiga …
Alguém que goste de mim … obrigada pela ternura e carinho, sei que é sincera. Sei, simples…há coisas que não é preciso muito para saber.

Beijo minha Flor n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:34  
Blogger oteudoceolhar disse...

A.S,

O Mar é tudo num todo … Longe de tudo e de todos, estou em casa.
Tal e qual assim…de mim ele tudo sabe.
Voltava agora mesmo, desandava daqui e fugia de novo para junto dele.

Beijo n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:39  
Blogger oteudoceolhar disse...

Pensador,
O Alentejo, é o “mundo” pelo menos o meu, e na altura em que o resto do mundo não está por ali, mais selvagem e puro se torna…certo?
O dia a dia vai ditar a vida … mas um dia é mesmo ali que vou ficar. Até que esse dia chegue, sim vamos vivendo aqui e ali … apenas viver, e não esquecer disso mesmo.

Beijo n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:41  
Blogger oteudoceolhar disse...

Evanir,

Querida, você vem sempre na hora certa, estamos aqui em qualquer altura, as minhas portas estão abertas.
Obrigada pela simpatia de suas palavras, pelo aconchego das mesmas.
Coloquei, acredite tudo e muito mais puderia colocar, o Mar tem esse efeito e poder sobre mim.
(espero que esteja melhor…)

Beijo n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:43  
Blogger oteudoceolhar disse...

Charlie,

Sem sombra de dúvidas … ele é o principio, meio e será o meu fim.
É ali que quero ficar para todo o sempre, uns ao sabor de uma música …o meu sabor será o do sal, o aroma, a maresia o fundo o sempre no meu amado Mar.
Até lá, estamos por cá, nesta aventura a que chamam vida, afinal de contas se já passamos o Bojador, se já sentimos dor, e até já espreitamos o abismo, dos abismos de além e aquém Mar … Eu aqui estou, á espera do que ele me “trouxe”, do que ele me reservou… ai este Mar… aquele que para todo o sempre irei Amar. Não tenho dúvidas, essa é uma certeza. É lindo não é? Eu sei … e é MEU.

Beijo n´oteudoceolhar.

8 de agosto de 2011 às 23:48  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial

} @media handheld { #wrap { width:90%; } #main-top { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-bot { width:100%; background:#FFF3DB; } #main-content { width:100%; background:#FFF3DB; } } #inner-wrap { padding:0 50px; } #blog-header { margin-bottom:0px; } #blog-header h1 { margin:0; padding:0 0 6px 0; font-size:225%; font-weight:normal; color:#612E00; } #blog-header h1 a:link { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:visited { text-decoration:none; } #blog-header h1 a:hover { border:0; text-decoration:none; } #blog-header p { margin:0; padding:0; font-style:italic; font-size:94%; line-height:1.5em; } div.clearer { clear:left; line-height:0; height:10px; margin-bottom:12px; _margin-top:-4px; /* IE Windows target */ background:url("") no-repeat bottom left; } @media all { #main { width:560px; float:left; padding:8px 0; margin-left:-40px; } #sidebar { width:240px; float:right; padding:8px 0; margin-left:-50px; } @media handheld { #main { width:100%; float:none; } #sidebar { width:100%; float:none; } } #footer { clear:both; background:url("") no-repeat top left; padding-top:10px; _padding-top:6px; /* IE Windows target */ } #footer p { line-height:1.5em; font-family:Verdana, sans-serif; font-size:75%; } /* Typography :: Main entry ----------------------------------------------- */ h2.date-header { font-weight:normal; text-transform:capitalize; text-align:right; letter-spacing:.1em; font-size:90%; margin:0; padding:0; } .post { text-align:center; margin:8px 0 24px 0; line-height:1.5em; } h3.post-title { font-weight:normal; text-align:center; font-size:140%; color:#da70cd; margin:0; padding:0; } .post-body p { text-align:center; margin:0 0 .6em 0; } .post-footer { font-family:Verdana, sans-serif; color:#da70cd; font-size:74%; border-top:0px solid #BFB186; padding-top:6px; } .post ul { margin:0; padding:0; } .post li { line-height:1.5em; list-style:none; background:url("") no-repeat 0px .3em; vertical-align:top; padding: 0 0 .6em 17px; margin:0; } /* Typography :: Sidebar ----------------------------------------------- */ h2.sidebar-title { font-weight:normal; font-size:120%; margin:0; padding:0; color:#da70cd; } h2.sidebar-title img { margin-bottom:-4px; } #sidebar ul { font-family:Verdana, sans-serif; font-size:86%; margin:6px 0 12px 0; padding:0; } #sidebar ul li { list-style: none; padding-bottom:6px; margin:0; } #sidebar p { text-align:center; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; margin:0 0 .6em 0; } /* Comments ----------------------------------------------- */ #comments {} #comments h4 { font-weight:normal; font-size:120%; color:#29303B; margin:0; padding:0; } #comments-block { line-height:1.5em; } .comment-poster { background:url("") no-repeat 2px .35em; margin:.5em 0 0; padding:0 0 0 20px; font-weight:bold; } .comment-body { margin:0; padding:0 0 0 20px; } .comment-body p { font-size:100%; margin:0 0 .2em 0; } .comment-timestamp { font-family:Verdana, sans-serif; color:#29303B; font-size:74%; margin:0 0 10px; padding:0 0 .75em 20px; } .comment-timestamp a:link { color:#473624; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:visited { color:#716E6C; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:hover { color:#956839; text-decoration:underline; } .comment-timestamp a:active { color:#956839; text-decoration:none; } .deleted-comment { font-style:italic; color:gray; } .paging-control-container { float: right; margin: 0px 6px 0px 0px; font-size: 80%; } .unneeded-paging-control { visibility: hidden; } /* Profile ----------------------------------------------- */ #profile-container { margin-top:12px; padding-top:12px; height:auto; background:url("") no-repeat top left; } .profile-datablock { margin:0 0 4px 0; } .profile-data { display:inline; margin:0; padding:0 8px 0 0; text-transform:uppercase; letter-spacing:.1em; font-size:90%; color:#211104; } .profile-img {display:inline;} .profile-img img { float:left; margin:0 8px 0 0; border:1px solid #A2907D; padding:2px; } .profile-textblock { font-family:Verdana, sans-serif;font-size:86%;margin:0;padding:0; } .profile-link { margin-top:5px; font-family:Verdana,sans-serif; font-size:86%; } /* Post photos ----------------------------------------------- */ img.post-photo { border:1px solid #A2907D; padding:4px; } /* Feeds ----------------------------------------------- */ #blogfeeds { } #postfeeds { padding:0 0 12px 20px; }

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

... Mar, o meu Mar ...


A ansiedade invade-me a alma.
Neste momento preciso de Ti, como a rosa precisa de uma gota de água…
Como quem precisa de um sopro de vida,
a vida que sinto sempre que defronte a Ti me vejo.
Ansiedade, que se quebra, pela vontade das gentes em deambular,
por aqui e por ali, e eu só Te quero a Ti,
 ”jogo-me” ao caminho.
De tão perto parece que falta uma eternidade…
O ar que se respira, nem sei que nome lhe dar além de ar…
Estou em casa, na minha, no meu mundo…
Tudo está como quando deixei a casa da ultima vez.
O meu banquinho, o meu farol e Tu.
- senti a tua falta, tanto mas tanto.
- eu estou aqui, eu estou sempre aqui.
-eu sei, eu sei que estás.
Sei que não me faltas, sei que estás sempre aqui.
-porque demoras-te?
-porque não consegui vir antes, sabes que viria.
-fala comigo…
-que queres saber?
Nem sinto vontade de falar, apenas olhar-te, sentir-te.
Fazes-me tanta falta.
-sabes que te ouço, diz-me que se passa?
-que dizer? Tanto passou-se tanto, e para que dizer-te quando
 Tu de mim tudo sabes.
Não quero, não faz sentido nem tão pouco vale a pena.
Precisava respirar-te, a Tua imensidão faz-me voar no hoje,
no amanhã e no agora…dás-me tanta paz.
- eu sei, eu sei que dou. Pensas que não sei?
Não és a única que o sente, imagina esse banco…imagina.
Pensa.
Quantas almas se sentam aí?
Imagina, quantas, todos os dias acalento e alimento.
Mas estou aqui e quando precisas,
quando corres para os meus braços, eu estou aqui.
-eu eu corro…
As gentes surgem do nada, e eu apenas vou a tempo de dizer “venho já…”
Sem quaisquer planos, de me jogar a Ti, é em Ti que me quero jogar.
Gelo que quebra, que quase corta,
de tanto prazer que me dá, confunde-se no misto que me envolve,
que te toma que me doma…
De novo juntos, em plena comunhão, Eu e Tu…
O gelo não existe, porque não faz sentido,
o Teu sabor mantêm-se inalterável, e sabes-me tão bem…
Sabor que conheço de cor, o corpo salgado, sabor de eterno pecado,
de mim em Ti…que acalentes as almas, todas quanto quiseres,
eu sei que vais estar sempre aqui para mim…
e quando isso acontece, somos apenas Tu e eu e nada nos move,
de sermos um.
-Diz-me…
-que queres que te diga?
-Não digas…eu sei.
Abraço-te, num mergulho de perder o fôlego, vida, dás-me vida…
O mundo perde-se quando me perco em Ti…
o mundo que fique onde está.
Eu fico aqui…
-deixa-me ficar.
-não podes.
-mas quero, deixa-me ficar de uma vez.
-não deixo, não faz sentido ser assim, o teu hoje não é aqui nem agora.
-mas aqui estou em casa.
-não aqui alimentas-te e voltas a casa.
-deixa.
-não. Voltas sempre que tiveres que voltar.
Mas eu sei e tu sabes, a vida começou agora, não acabou…
Agora é que ela começou … vai vivê-la, sem medo…vai, e volta, estarei aqui sempre que precisares, sempre que me quiseres ver, basta fechares os olhos ou simplesmente vem…
Amar-te-ei sempre, estarei aqui sempre para ti.
Para te Amar, eu que sou o teu Mar.
E eu vou porque Tu sabes, e sim eu sei, a vida agora começou…
E sim ainda que em plena comunhão, faço falta, faço muita falta,
E não é nem no aqui nem no agora, ainda que aqui esteja em casa,
não é agora que tenho de ficar aqui.
Tu sabes eu vou, mas eu volto, para te amar meu Mar.
Sempre.

Maria

Beijo n´oteudocelhar

10 Comentários:

Blogger Flor de Jasmim disse...

Maria minha querida
Quando te sentires triste
fecha os olhos
pensa em mim e sorri
pensa que longe
mas tens alguém
que muito gosta de ti.

Beijinho n,oteudoceolhar

4 de agosto de 2011 às 17:08  
Blogger A.S. disse...

Mar!
Onde podes beber sol e liberdade
Longe de angústias e de medos
Sentar-te no colo dos rochedos
Perder-te no azul que te invade
E contar ao mar os teus segredos!...


Beijos meus...
AL

5 de agosto de 2011 às 18:30  
Blogger PauloSilva disse...

O Alentejo é lindo de verdade. Autenticamente selvagem e genuíno! Agradecido pelo comentário, querida Maria.

A vida começa e recomeça vezes e vezes sem conta, só acaba uma vez. Por isso até lá... vamos vivendo por aqui, por ali na nossa vida.

6 de agosto de 2011 às 19:47  
Blogger Evanir disse...

Maria Minha Querida..
Eu demorei é bem verdade senti uma enorme saudade de estar aqui.
Querida estou emocionada diante desse texto que dou nome de poesia.
Colocaste o intimo do seu ser em cada palavra .
Quero que venha no meu blog minha amiga estou precisando ser rodeada de minhas amigas.Uma linda semana Deus tem benção sem medidas para você.
beijos meus,Evanir.

7 de agosto de 2011 às 20:25  
Blogger Check Point Charlie disse...

Ó mar salgado, quanto do teu sal
São lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
Quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
Para que fosses nosso, ó mar!


Valeu a pena? Tudo vale a pena
Se a alma não é pequena.
Quem quer passar além do Bojador
Tem que passar além da dor.
Deus ao mar o perigo e o abismo deu,
Mas nele é que espelhou o céu.

Para quem o Mar nunca é fim, antes um princípio : para ti !

Um beijo n'oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 12:13  
Blogger oteudoceolhar disse...

Minha flor,
Maria está de volta, alguma vez, aqgora que recomecei vou parar.
Não se sabe verdade, as partidas que nos prega a “inspiração” …espero mantê-la, ajuda-me a sentir um pouco de sanidade, na insanidade da vida.
Claro que fica um sorriso para ti minha amiga …
Alguém que goste de mim … obrigada pela ternura e carinho, sei que é sincera. Sei, simples…há coisas que não é preciso muito para saber.

Beijo minha Flor n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:34  
Blogger oteudoceolhar disse...

A.S,

O Mar é tudo num todo … Longe de tudo e de todos, estou em casa.
Tal e qual assim…de mim ele tudo sabe.
Voltava agora mesmo, desandava daqui e fugia de novo para junto dele.

Beijo n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:39  
Blogger oteudoceolhar disse...

Pensador,
O Alentejo, é o “mundo” pelo menos o meu, e na altura em que o resto do mundo não está por ali, mais selvagem e puro se torna…certo?
O dia a dia vai ditar a vida … mas um dia é mesmo ali que vou ficar. Até que esse dia chegue, sim vamos vivendo aqui e ali … apenas viver, e não esquecer disso mesmo.

Beijo n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:41  
Blogger oteudoceolhar disse...

Evanir,

Querida, você vem sempre na hora certa, estamos aqui em qualquer altura, as minhas portas estão abertas.
Obrigada pela simpatia de suas palavras, pelo aconchego das mesmas.
Coloquei, acredite tudo e muito mais puderia colocar, o Mar tem esse efeito e poder sobre mim.
(espero que esteja melhor…)

Beijo n´oteudoceolhar

8 de agosto de 2011 às 23:43  
Blogger oteudoceolhar disse...

Charlie,

Sem sombra de dúvidas … ele é o principio, meio e será o meu fim.
É ali que quero ficar para todo o sempre, uns ao sabor de uma música …o meu sabor será o do sal, o aroma, a maresia o fundo o sempre no meu amado Mar.
Até lá, estamos por cá, nesta aventura a que chamam vida, afinal de contas se já passamos o Bojador, se já sentimos dor, e até já espreitamos o abismo, dos abismos de além e aquém Mar … Eu aqui estou, á espera do que ele me “trouxe”, do que ele me reservou… ai este Mar… aquele que para todo o sempre irei Amar. Não tenho dúvidas, essa é uma certeza. É lindo não é? Eu sei … e é MEU.

Beijo n´oteudoceolhar.

8 de agosto de 2011 às 23:48  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial